Uma volta a 1733, em Napoli, pelos olhos de Giovan Battista Pergolesi, nas dúvidas do amor e na beleza do humor, encenada brilhantemente por Alicia Cupani (Serpina), Douglas Hahn (Uberto) e Sergio Bellozupko (Vespone), e conduzidos pelo bravo maestro Alessandro Sangiorgi e sua Camerata Harmonia Lyra. Mais um presente do Festival de Ópera de Joinville, recebido por uma belíssima presença do público, que viajou nas maravilhosas notas da opereta La Serva Padrona. Parabéns a todos.
Fotos: Pablo Teixeira Fotografia.

LA SERVA PADRONA, pequena ópera, um intermezzo, traz em si a característica de ser mais descontraída, e marca a origem da ópera cômica. A obra de Giovanni Pergolesi foi representada pela primeira vez em 1733.

||||| SINOPSE:

Uberto é um burguês solteiro, que decide se casar para acabar com a opressão de Serpina, sua empregada. Mas, sem se contentar, a empregada vai tentar conquistá-lo se fingindo de esposa ideal, com a ajuda de outro empregado da casa, Vespone.

||||| PERSONAGENS
Serpina – Alicia Cupani
Uberto – Douglas Hahn
Vespone – Sergio Bellozupko

||||| MAESTRO 
Alessandro Sangiorgi

||||| DIREÇÃO CÊNICA
Sulanger Bavaresco

: : CAMERATA HARMONIA LYRA

||||| SERVIÇO:
ONDE: Sociedade Harmonia Lyra
DATA: 20 de junho de 2017

INGRESSO SOLIDÁRIO