2º Festival de Ópera de Joinville 2018

Após realizar com êxito e plateia lotada concertos líricos e montagens reduzidas de ópera, a Sociedade Harmonia-Lyra decidiu criar o primeiro Festival de Ópera de Joinville, em 2017. Com uma programação que envolveu uma cortina lírica, a opereta La Serva Padrona e uma récita de La Bohème, de Puccini, a primeira edição foi mais um sucesso de público e de qualidade.

Em 2018, o evento tem um brilho especial por conta das comemorações dos 160 anos de fundação da Sociedade Harmonia-Lyra, no dia 31 de maio, data de abertura do festival.

Além do concerto de abertura, chamado Cortina Lírica, que tem o patrocínio da Prefeitura de Joinville e da Secretaria de Cultura e Turismo, por meio do SIMDEC, o evento contará ainda com palestra sobre ópera, masterclass, uma atividade de formação de plateia para 400 crianças de escolas municipais e duas récitas de Madama Butterfly, do italiano Giacomo Puccini. “É a primeira vez em muitos anos que Joinville recebe uma montagem de ópera tão completa. Envolvendo coro, orquestra e solistas, a última que se tem notícia ocorreu há mais de 80 anos, neste mesmo salão da Sociedade Harmonia-Lyra.”, afirma Cauduro.

Para executar este trabalho, a Harmonia-Lyra priorizou unir talentos locais e externos. Os solistas principais têm carreira no Brasil e no exterior, sendo que a cantora Masami Ganev, que interpreta a japonesa Butterfly, é uma soprano nascida no Japão. Os solistas vêm de São Paulo, Curitiba, Florianópolis e três são de Joinville, assim como a orquestra, formada por instrumentistas de Curitiba, Blumenau e Joinville. Os atores são do grupo de teatro da UNIVILLE e o coro está sendo montado a partir do coro de cantores líricos da Casa da Cultura de Joinville.
O pianista Matheus Alborghetti mora em Curitiba, mas iniciou seus estudos e carreira em Joinville. O diretor musical e regente é o italiano Alessandro Sangiorgi, especializado em ópera, e o diretor cênico, Walter Neiva, é um dos melhores da América do Sul, já tendo dirigido óperas em vários países. A direção artística é do talento local Douglas Hahn. Quem assina a produção é Guilherme Gassenferth, de Joinville, e a confecção do figurino é José Beirão, de Florianópolis. A eles, soma-se uma equipe técnica e de produção inteiramente de Joinville.

A direção geral do evento é do presidente Álvaro Cauduro. Para ele, a ideia é buscar a formação dos talentos joinvilenses. “Neste ano, conseguimos dar ainda mais espaço para artistas e técnicos daqui. Este é um papel da Harmonia-Lyra: desenvolver talentos e, futuramente, encenar uma ópera só com joinvilenses, como já se fazia no passado”, completa Álvaro.

31 de maio

Cortina Lírica

Neste dia, a Sociedade Harmonia-Lyra completa 160 anos e comemora com uma Cortina Lírica, um concerto com árias famosas de óperas, cantado por quatro solistas renomados nacionalmente. Este evento tem o patrocínio do Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura (SIMDEC), por meio da Secretaria de Cultura e Turismo e da Prefeitura Municipal de Joinville.
Com um concerto em duas partes, serão cantadas árias de óperas de Delibes, Offenbach, Halevy, Camille Saint-Saëns, uma composição do brasileiro Heitor Villa-Lobos e de três óperas de Bizet, especialmente de sua obra-prima Carmen.

1° parte

“Au fon du temple saint” da ópera Os pescadores de pérolas – Georges Bizet

“Mon coeur s’ouvre à ta voix” da ópera Sansão e Dalila – Camille Saint-Saëns

“Bachianas Brasileiras No. 5” – Heitor Villa-Lobos

“Rachel quand du Seigneur” da ópera La Juive – Jacques Halévy

“Il est doux, il est bon” da ópera Hérodiade – Jules Massenet

“Avant de quitter ces lieux” da ópera Faust – Georges Bizet

“Barcarolle” da ópera Os contos de Hoffmann – Jacques Offenbach

2ª parte 

Trechos da ópera Carmen – Georges Bizet

Masami Ganev – soprano
Luciana Bueno – mezzo-soprano
Paulo Mandarino – tenor
Douglas Hahn – barítono

Matheus Alborghetti – piano

Alessandro Sangiorgi – preparação

Serviço:

O que: Cortina Lírica – 160 anos da Sociedade Harmonia-Lyra
Onde: Sociedade Harmonia-Lyra (Rua XV de Novembro, 485)
Quando: 31 de maio, às 20h
Duração: aproximadamente 110 min
Ingressos: 3kg de alimentos não perecíveis, a serem retirados antecipadamente na secretaria da Sociedade, das 09h às 12h e das 14h às 17h

04 de junho

Formação de plateia

Este evento, fechado para as crianças da rede municipal de ensino, é uma ação de formação de plateia. 400 crianças de escolas municipais assistirão ao ensaio geral da ópera Madama Butterfly, de Puccini, e receberão informações sobre este gênero musical, além de lanche.

06 e 07 de junho

Ópera Madama Butterfly

A ópera Madama Butterfly, de autoria de Giacomo Puccini, retrata uma história que se passa na cidade japonesa de Nagasaki, na primeira década do século XX. O comandante da Marinha americana, Pinkerton, casa-se com a gueixa japonesa Butterfly, mas retorna sozinho aos Estados Unidos, onde se casa com Kate. Butterfly aguarda o retorno de seu amado, e fica sabendo três anos depois que ele está chegando. Mesmo retornando a Nagasaki, Pinkerton não pretende reencontrar Butterfly, até saber que ela possui um filho dele.

Esta ópera estreou em 1904, no teatro Alla Scala de Milão, e atualmente é uma das mais conhecidas e executadas peças do gênero no mundo.Butterfly (Cio-cio-san) – Masami Ganev, soprano

Pinkerton – Paulo Mandarino, tenor
Suzuki – Luciana Bueno, mezzo-soprano
Cônsul Sharpless – Douglas Hahn, barítono
Goro – Rubens Rosa, tenor
Bonzo – Cristiano Damasceno, baixo
Kate Pinkerton – Karla Huch, soprano
Comissário imperial – Eduardo Campos, barítono

Matheus Alborghetti – piano
Alessandro Sangiorgi – regência e direção musical
Walter Neiva – direção cênica
José Beirão – figurino.

Serviço:

O que: ópera Madama Butterfly, de Puccini.
Onde: Sociedade Harmonia-Lyra (Rua XV de Novembro, 485).
Quando: 06 e 07 de junho, às 20h.
Duração: 135 min

Ingressos:

disponíveis pelo TicketCenter, com valores (inteira) entre R$ 30 e R$ 100, no site https://www.ticketcenter.com.br, ou na MyTarget Idiomas, Rua Alexandre Döhler, 317 – Centro, Seg. à sex. das 8h às 21h – Sáb. das 8h às 12h

PATROCÍNIO

patrocinio-festival-de-opera-2018